Acompanhamento de Idosos

Tempo de Leitura: 2 minutos

Frente ao envelhecimento populacional e considerando a importância do atendimento à esta parcela da população proponho a Atenção para além dos consultórios (também incluídos). O objetivo deste trabalho é a Atenção com a saúde integral, ao bem estar dos idosos, promovendo qualidade de vida: o Projeto de Atenção será estabelecido com o paciente, família e cuidadores, levando em consideração todas as circunstâncias: estado geral, cultura, desejos, possibilidades.

Olga Facciolla Kertzman(*)


O trabalho clínico se insere na rede interdisciplinar e inclui-se na vida da pessoa, no seu meio habitual, no seu lar, no residencial, no hospital, não se contrapondo a outros tratamentos em curso, complementando-os. Procura-se estabelecer um vínculo de confiança possibilitador de elaboração dos conflitos da situação vivida pelo sujeito idoso, participando de seu convívio afetivo, trabalhando os obstáculos para o tratamento, descobrindo potencialidades criativas, construindo, enfim, um “projeto de harmonia e felicidade possível” junto ao idoso acompanhado e às pessoas do entorno, tendo como prioridade manter e incentivar a autonomia e independência.

Não se trata de uma psicoterapia estrito senso mas de um trabalho terapêutico, apoiado principalmente na escuta, nos diálogos, se propondo em refazer projetos de vida, recuperar desejos e capacidades, ajudar/intermediar relações e conflitos entre familiares, cuidador familiar e formal, facilitar intervenções. O trabalho pode ser desenvolvido via conversa, jogos, situações problema, reminiscências, estimulação cognitiva, dicas de organização do local habitado (principalmente nos graus intermediários e avançados de demência).

Ao longo do tempo de trabalho e considerando as múltiplas maneiras de envelhecer vejo como fundamental a conversa/escuta, a prevenção o preparar-se para o envelhecimento e aprender a lidar e suportar este processo, seus limites e possibilidades. As atividades propostas favorecem a elaboração das questões envolvidas e o “desabafar” (que no Dicionário indica: descobrir; arejar, desobstruir, manifestar com franqueza o que se sente ou pensa). Trabalho também oferecido para não idosos em processo de doenças crônicas ou agudas, pós-operatorios, acamados.

(*)Olga Facciolla Kertzman é psicóloga e mestre em Ciências no curso de pós-graduação em Infecções e Saúde Pública, área de concentração: Saúde Coletiva, da Coordenadoria dos Institutos de Pesquisa (CIP), da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. E-mail: [email protected]

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3807 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento