Virada da Maturidade e o protagonismo do idoso: do limão, uma limonada

O evento, gratuito, acontecerá, na sua segunda edição, de 13 a 18 de setembro em diversos locais da cidade de São Paulo e é um convite que propicia ao idoso condições de exercer, com destaque, o merecido envelhecimento. Oportunidade ímpar de mostrar ações inspiradoras para outras gerações, através de experiências de vida que inspiram os mais jovens.

Viver é estar em cena.

É aceitar o convite para protagonizar nossa própria existência ao assumir o papel principal da nossa história. Ao envelhecer é comum perder a condição de protagonista. O entorno pensa que este é papel para os mais jovens. Correto?

A Virada da Maturidade, traz como proposta colocar o idoso no protagonismo da vida oferecendo diversas atividades para favorecer o longeviver.

O evento, que é gratuito, acontecerá, na sua segunda edição, de 13 a 18 de setembro em diversos locais da cidade de São Paulo e é um convite que propicia ao idoso, condições de exercer, com destaque, o merecido envelhecimento. Oportunidade ímpar de mostrar ações inspiradoras para outras gerações, através de experiências de vida que inspiram os mais jovens.

É preciso mudar, conceitualmente nossa visão sobre a velhice e a Virada da Maturidade faz o seu papel ao mostrar o idoso no protagonismo da existência afinal, “Viver é envelhecer, nada mais”.

Citação esta, de Simone de Beauvoir, que me impulsiona a estudar Gerontologia. Está na hora de ensinar aos jovens o que isso significa. A cultura gerontológica precisa ser modificada. Com urgência.

Viver sempre foi encantador aos meus olhos, apesar da plena certeza das inúmeras dificuldades da vida. E se viver me encanta, o mesmo acontece com o envelhecimento, certo?

Não. Vivo numa luta contínua para não perder o encanto com o tema.

A vida é injusta e envelhecer é mais injusto. Velhos são deixados de lado e são pouco respeitados. Sofrem uma desvalorização que me incomoda e me faz ficar descrente. Luto para não sofrer as influências das amarguras.

A história às vezes é bela, mas às vezes não. Há momentos árduos e nem sempre é fácil manter o protagonismo. Mas é preciso. E faz-se necessário.

Que ventos soprem ao nosso favor já que, como na arte, a vida pode às vezes parecer uma tragédia de Willian Shakespeare. Como lidar com isso?

Em MacBeth, três bruxas, entre trovões e relâmpagos, decidem comandar o destino dos homens. Uma peça com maldade, com loucura e que fala de um rei velho. Arte ou vida? Maldade extrema. Isso existe?

O show não pode parar. A vida prossegue. Sempre. Com tempestades que, ora trazem a bonança, ora apenas ruínas.

virada-da-maturidade-e-o-protagonismo-do-idoso-do-limao-uma-limonada-foto1Mas o que faz a vida ser encantadora é justamente esta força que brota do fundo da nossa alma para combater as injustiças do viver e do envelhecer. Somo capazes de transformar e modificar o rumo da história. É preciso mudar culturalmente nossa maneira de olhar para a velhice. Mudança que deve começar agora.

O velho é sábio? É doente? É ativo? É rabugento?

Ele é tudo isso e muitas outras coisas, afinal estamos falando de velhice e esta é múltipla. Impossível padronizar.

Meu pai sempre teve um papel fundamental em minha vida. Amor declarado e nunca escondido. Agora, próximo aos seus 80 anos, faço dele meu espelho para a velhice que quero ter.

“O segredo é aprender a fazer do limão uma limonada”, diz ele. E eu, que muitas vezes provei da limonada, compreendo o que ele quer dizer.

Durante toda vida eu o via lidar com as dificuldades de um jeito único. Meu pai nunca foi de ficar rodeando os problemas. Sempre buscou mudanças. Nunca ficou parado. Diz que a dureza de envelhecer é perceber que, nesse processo da aposentadoria, o idoso começa, aos poucos, a ser descartado pelos profissionais mais jovens.

Meu pai sempre soube lidar com isso. E com maestria. Mas creio que, lá no fundo, esse comportamento existente socialmente, deixa mágoas.

Como será que vou lidar com isso quando chegar minha vez?

Espero ter aprendido com meu pai o suficiente para não me acabar em tristeza. Quando ele se aposentou, mais uma vez mostrou ser dono de uma sabedoria ímpar.

Mudou a vida, mudou de cidade e começou a estudar. Com a seriedade de um professor, meu pai voltou a ser aluno. Estuda italiano e História da Arte. Assumiu o protagonismo da sua vida, como sempre fez.

Mas percebemos muitos idosos vivendo a velhice de maneira oposta à do meu pai. Aposentam-se na totalidade.

Entregam-se ao nada fazer e isso é comum. É também deprimente e nada saudável. Não estar envolvido com a vida adoece as almas. Anula o sujeito. É preciso reagir e procurar novos caminhos. Sempre, e uma boa oportunidade de reação começa em setembro.

A Virada da Maturidade tem objetivos nobres. Com seriedade, é um acontecimento criado para envolver o idoso em situações engrandecedoras durante os dias do evento. É inserir a certeza de um protagonismo capaz e possível para que ele possa continuar a existir posteriormente após seu encerramento.

virada-da-maturidade-e-o-protagonismo-do-idoso-do-limao-uma-limonada-foto2Diversas atividades são oferecidas. Durante a Virada da Maturidade a arte, a cultura o bem-estar físico e emocional estarão em pauta.

O Show de Talentos revela muito mais do que idosos talentosos. A alegria de viver o protagonismo é revelada.

Palestras, mutirões, sarau, a beleza de ser grisalho, entre outras inúmeras atividades fazem do evento um meio de incentivar mudanças positivas ao envelhecimento.

Ao olhar para meu pai, que continua fazendo limonadas com os limões oferecido pela velhice, creio que participar da Virada da Maturidade é um maravilhoso jeito de matar a sede.

Saiba Mais

Evento: Virada da Maturidade (de 13 a 18 de setembro

Abertura: Dia 13 de setembro às 19 horas, no auditório do MuBE – SP

Endereço: Rua Alemanha 221, Jardim Europa.

Informações e programação: http://www.viradadamaturidade.com.br/

Programação da Abertura:

O Protagonismo do Idoso, com Wilson Jacob Filho

A Arte e o Envelhecimento, com Diego Felix Miguel

Idosos Fragilizados: Ressignificado da existência através da arte – Projeto Faça Memórias, com Cris Pomeranz e Juliana Naso

Ciclo de Perguntas da plateia – Equipe Virada da Maturidade – Apresentação do evento

Sobre a abertura do evento

“A Virada da Maturidade terá sua abertura no Mube, Museu Brasileiro da Escultura, museu que transpõe sua arquitetura arrojada para ações inovadoras.

Ao compreender todas as fases da vida como possibilidades de reinvenção, o MuBE abre as portas para as diversas velhices e entende que esta é a maneira de priorizar a vida. Neste museu, idosos com esquecimento têm a oportunidade de serem os protagonistas de suas histórias, re-significadas com arte e afeto.

Atitudes assim, são a transcrição da Virada da Maturidade. Iniciar este evento no MuBE é comprometer o envelhecimento com o que há de melhor e mais digno em ações possíveis de engrandecer a velhice.”

(*)Cristiane T. Pomeranz é arteterapeuta, entusiasta da vida e da arte e mestranda em Gerontologia Social PUC-SP. Email: crispomeranz@gmail.com

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 335 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento