Teresina inaugura sua primeira ILPI pública

Instituição de longa permanência para idosos é a primeira, administrada pela Prefeitura, implantada em Teresina, com capacidade para receber até 20 idosos. As pessoas idosas beneficiárias serão atendidos por 38 profissionais de diversas áreas da saúde. O país carece de moradias coletivas públicas, pois a longevidade da população tem imposto grandes desafios para a gestão das políticas públicas, como é o aumento da demanda por ILPIs.

 

 

teresina-inaugura-sua-primeira-ilpi-publicaA primeira Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) “Lar de Santana”, foi recém inaugurada em Teresina. Trata-se de um equipamento urbano que será administrado pela prefeitura e que terá capacidade para receber até 20 pessoas idosas. O país carece de moradias coletivas públicas, pois a longevidade da população tem imposto grandes desafios para a gestão das políticas públicas, como é o aumento da demanda por ILPIs.

Historicamente, as ILPIS, chamadas anteriormente de asilos e abrigos, surgiram para atender a pessoas em situação de pobreza, com problemas de saúde e sem suporte social. Hoje, o conceito é outro, e existe uma diversidade de ILPIS, assim como há diversas velhices, para as quais a gestão pública e a sociedade devem buscar alternativas de equipamentos de moradia coletiva.

Na ILPI “Lar de Santana”, Os residentes contarão com suporte de 38 profissionais, entre eles assistentes sociais, médicos, psicólogos, nutricionistas, enfermeiros, cuidadores, serviços gerais, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Todos eles passaram por capacitação para se qualificarem para as atividades que vão desempenhar. Não há gerontólogo na equipe.

Os encaminhamentos dos idosos serão realizados através dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) que farão o estudo do perfil dos idosos. O ministério Público e a Justiça também poderão realizar os encaminhamentos.

Em declaração à imprensa, a Chefe de Divisão de Alta Complexidade da Semtcas, Adelina Meneses, disse que a “iniciativa surge para atender a uma demanda antiga e amenizar a condição de idosos que sofrem negligência e muitas vezes são abandonados pelas suas famílias de origem, utilizando as ruas como moradia e espaço de sobrevivência. Essa situação é ainda mais grave porque, muitas vezes, os abrigos existentes na capital estão em sua capacidade maxima”.

Segundo ela, “os abrigos da capital estão no limite. A recomendação da política de assistência social é que essas instituições acolham, no máximo, 40 pessoas e existem abrigos que possuem mais de 60 idosos, por conta dessa necessidade que é bem crescente. Precisamos garantir os direitos e a proteção do idoso, que necessita desse apoio do município, já que a famílias não se encontram em condição de cuidar”.

Em Teresina existem cinco entidades de acolhimento para idosos não-governamentais, sendo três conveniadas com o município, uma com o estado e a outra sem nenhum vínculo com os governos.

A ILPI Lar de Santana funciona no bairro de Fátima, na Zona Leste da capital, e será administrada pela Ação Social Arquidiocesana (ASA), unidade conveniada à Prefeitura de Teresina por meio da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (SEMTCAS).

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2118 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento