A saúde bucal como fator fundamental à saúde geral do idoso

Saúde bucal na terceira idade consiste na manutenção dos dentes saudáveis sob aspectos biológicos; devolver a habilidade para bem mastigar; melhorar a sensibilidade gustativa; ajudar numa fonação adequada e uma estética que ajude na reinserção social e assim proporcionando bem estar e qualidade de vida.

Thaís de Oliveira Rezende*  e Fernando Luiz B. Montenegro*

Nos últimos anos, a maior consciência preventiva dos pacientes e dos profissionais foi uma contribuição essencial para a preservação dos dentes naturais e conseqüentemente a demanda por tratamentos odontológicos mais complexos foi aumentada e os índices de edentulismo reduziram.

Não se pode mais conceber a idéia de que perder dentes é inerente ao Envelhecimento.

As extrações dentais acontecem pelo acúmulo de placa bacteriana e formação de cálculos dentais que são as principais agentes causadores da doença periodontal que associada à higiene oral deficiente e limitações físicas, são os maiores responsáveis pela indicação de remoção dos elementos dentários.

Somam-se a estes fatores a privação de orientações educacionais e à atividades preventivas para estes indivíduos e fatores culturais como a falta de consciência da importância da higiene oral na manutenção da saúde bucal e por conseguinte da saúde geral,já que é impossível dissociar a interdependência entre ambas.

As perdas de alguns dentes e o uso de próteses inadequadas diminuem a eficiência mastigatória em 50 a 85% e ocasionam um menor consumo de nutrientes essenciais levando à alterações nutricionais e assim , estes pacientes deixam de consumir sobretudo alimentos ricos em fibras, proteínas e vitaminas,muitos essenciais para sua boa recuperação orgânica. O processo digestivo se inicia na cavidade oral e a formação do bolo alimentar nestes indivíduos é inadequada, sobrecarregando inclusive o trânsito estomacal posterior, trazendo graves prejuízos a este órgão com não absorção adequada dos bons nutrientes da dieta dos idosos.

A microbiota oral, aumentada em volume pelos problemas gengivais, por exemplo, pode causar diversas moléstias sistêmicas promovendo depósitos de colônias bacterianas em outros tecidos humanos e bactérias como Streptococcus viridans e Staphylococcus aureus estão relacionadas à endocardite infecciosa cujos ricos podem ser minimizados com a eliminação dos focos infecciosos da cavidade oral.

A aspiração de conteúdos infectados orais como a saliva e de bactérias patogênicas gram-negativas podem atingir o trato respiratório inferior e agravar quadros de pneumonia, doença de grande importância clínica para pacientes geriátricos.

Pacientes idosos com entubação naso-gástrica tem uma significante prevalência de colonização da orofaringe por patógenos e alterações do fluxo salivar, sendo relatados como riscos para a pneumonia aspirativa. É necessário para estes pacientes a mais perfeita revisão dos procedimentos de higiene oral existentes.

Estudos confirmam a tese de que as dentaduras podem ser consideradas uma importante reserva de microorganismos que colonizam a faringe. Por isso, é importante controlar, com bastante cuidado, a placa bacteriana nas dentaduras para prevenir a ocorrência de pneumonia. Pacientes portadores de próteses totais e removíveis podem apresentar ainda a chamada estomatite protética, com a qual associa-se Candida albicans determinando a chamada candidíase eritematosa, esta condição torna-se ainda mais relevante quando o paciente está sendo submetido à terapia com antibióticos, imunosupressores e terapias anti-cancerígenas.

O cuidado aos idosos deve ser diferenciado, idealizando modelos de atenção multidimensional com características peculiares pela presença de múltiplas enfermidades que determinam limitações funcionais e psicossociais.

A longevidade, com qualidade de vida, é um ideal convergente com premissas da promoção da saúde. Viver mais e bem é um ideal intimamente relacionado à saúde em sua apreensão mais ampla como potencial de satisfação das aspirações humanas. A velhice relaciona-se intimamente com a preservação da autonomia do indivíduo. A promoção do envelhecimento saudável para a atenção ao idoso está relacionada com as práticas de saúde, em geral, e é vista como valiosa conquista humana e social.

Leituras sugeridas:

REZENDE, TO. Cuidados bucais em pacientes idosos hospitalizados realizados pelas equipes de enfermagem, ABENO. Monografia de Especialização em Odontogeriatria,181 p., 2005.

BRUNETTI, RF; Montenegro, FLB. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002.

*Odontogeriatra, Uberlândia, MG – tr@triang.com.br

**Mestre e Doutor, São Paulo, S.P. – fbrunetti@terra.com.br

Observação: Os artigos postados nesta sessão são encaminhados
pelo Dr. Fernando Luiz Brunetti Montenegro

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 1764 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento