Japão conta com mais de 40 mil centros-dia para idosos

Além da quantidade de centros dias em funcionamento por lá, alguns destes equipamentos sociais se especializam em alguma atividade, como música e yoga. Uma central, após avaliação inicial, encaminha os idosos para os centros dias, de acordo com sua região e perfil. Se a pessoa tem afinidade pela música, por exemplo, pode ser encaminhada para o centro dia que visitamos e fizemos o treinamento, chamado Yura Rhythm. Por lá, se o idoso desejar, aprende a tocar instrumentos musicais, a fazer exercícios de ritmos e de relaxamento com Yoga.

Ana Nakamura *

 

japao-conta-com-mais-de-40-mil-centros-dia-para-idososRelato aqui algumas impressões ao revisitar o Japão, em novembro de 2015, com um grupo de profissionais do Brasil e da Bolívia, com apoio da JICA Brasil (Agência de Cooperação Internacional do Japão). O relato segue de forma resumida com destaques para as questões de acessibilidade, tecnologia e jogos.

A visita durou quase um mês, estando em Yokohama, e depois por mais tempo em Sendai. É notável como os lugares são pensados para todos, crianças, jovens, idosos, com ou sem limitações físicas. Há rampas suaves, calçadas e ruas muito bem conservadas e planas, semáforos com alerta sonoro (com dois sons de pássaros), indicando a direção que se segue, norte-sul ou leste-oeste.

Conhecer os centros dias japoneses era um dos objetivos desta viagem, e não faltam oportunidades para tanto, já que há mais de 40 mil centros dias no Japão. É um número muito além da nossa realidade, se considerarmos que em São Paulo, o número de centros dias públicos ou mesmo particulares é bem baixo, quase inexistente. Obviamente há uma variedade de fatores a considerar, como o sistema de saúde, as políticas sociais, a quantidade de idosos, entre outros, mas é uma grande diferença da realidade que temos por aqui, um sinal de muita jornada pela frente.

Além da quantidade de centros dias em funcionamento por lá, alguns destes equipamentos sociais se especializam em alguma atividade, como música e yoga. Uma central, após avaliação inicial, encaminha os idosos para os centros dias, de acordo com sua região e perfil. Se a pessoa tem afinidade pela música, por exemplo, pode ser encaminhada para o centro dia que visitamos e fizemos o treinamento, chamado Yura Rhythm. Por lá, se o idoso desejar, aprende a tocar instrumentos musicais, a fazer exercícios de ritmos e de relaxamento com Yoga.

Neste centro dia, há um cuidado para que o idoso sinta-se capaz de participar das atividades independente de suas limitações. As partituras, por exemplo, têm questões de acessibilidade atendidas, com tamanhos de textos adequados, informações claras e visuais, material editado e marcado com cores; os instrumentos recebem etiquetas nas teclas com números e cores para facilitar ao máximo a compreensão da atividade. Mas o objetivo maior das atividades, segundo o instrutor Kikuchi-san, é deixar os idosos felizes em fazer parte da atividade, e não a execução perfeita da mesma.

japao-conta-com-mais-de-40-mil-centros-dia-para-idososSendo da área tecnológica e com as pesquisas acadêmicas em mente, aproveitei um dos eventos para conhecer recursos tecnológicos que facilitam o acesso à informação e comunicação. Entre outras, houve uma demonstração de acesso a um texto via computador, com diferentes possibilidades para acessar suas páginas: um grande botão vermelho que, se pressionado por pouco menos que dois segundos, permitia acesso à página seguinte; não fosse possível pressionar o dispositivo com a mão, havia um pedal no chão com a mesma finalidade; outro modo de avançar no texto era assoprar um sensor (num formato parecido com o de um microfone) ou, ainda, usando um sensor acoplado a um óculos, era possível avançar a página, movendo a cabeça para o lado.

Ainda sobre tecnologias, é quase impossível não experimentar as casas de jogos, sejam estas similares às daqui (fliperamas e simuladores encontrados principalmente em shoppings) ou como os tradicionais pachinkos onde há máquinas parecidas com o estilo “pinball” e “slots”.  São ambientes com muitos estímulos, visuais e sonoros, em que o som das máquinas pode afastar quem não gosta de muito barulho, mas basta começar a jogar para que o som das demais máquinas fiquem quase imperceptíveis, pois é assim que bons jogos funcionam, logo se é “capturado” pelas possibilidades de ganhar, ou perder, mas de quase sempre ter chegado muito perto da vitória, o que renova as esperanças dos jogadores. Algo esperado nesses ambientes era um maior número de frequentadores mais velhos, no entanto, ao menos quando estive lá não pude observar isso, talvez porque eu tenha ficado na área de iniciantes no jogo e sem acesso às demais áreas.

A viagem proporcionou muito conhecimento a todos os participantes e também à equipe que nos apoiou totalmente em nossa estadia. O período em treinamento contribuiu ainda para o aumento de nossa percepção em relação à realidade que temos por aqui, gerando reflexões de nossas possíveis contribuições e do quanto ainda precisamos caminhar para melhorar a vida de todos nós, independente da idade.

O que é a JICA

A JICA é o órgão do Governo Japonês responsável pela implementação da Assistência Oficial para o Desenvolvimento (ODA) que apoia o crescimento e a estabilidade socioeconômica dos países em desenvolvimento com o objetivo de contribuir para a paz e o desenvolvimento da sociedade internacional. Com uma rede de escritórios que se estende por quase 100 países, a JICA presta assistência a mais de 150 países no mundo todo.

A JICA oferece bolsas de estudos ao Japão, custeadas pelo Governo Japonês e implementadas em parceria com Governo das Províncias, ONGs, Universidades, entidades de utilidades públicas, empresas privadas entre outros. O público alvo deste programa são descendentes japoneses da América Latina que desejam adquirir habilidades técnicas e conhecimentos necessários ao desenvolvimento profissional por meio do treinamento técnico, sendo capacitados a liderarem a comunidade de seus respectivos países, contribuindo desta forma para a melhoria da região a que pertencem. Tem como objetivo selecionar os recursos humanos aptos a dedicar no futuro, às pesquisas ou treinamento técnico nos setores que exijam conhecimentos especializados por meio de treinamento no Japão. O treinamento visa a aprendizagem de tecnologias avançadas e conhecimentos mais recentes, preparando profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento da sociedade nipo-brasileira e da sociedade regional às quais pertencem.

Referências

Produtos para a acessibilidade: Acesse Aqui e Aqui 

JICA Brasil: Acesse Aqui

Centro Dia Yura Rhythm: Acesse Aqui

* Ana Nakamura – Graduação em Ciência da Computação e mestrado em Tecnologias Digitais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Tem experiência na área de Ciência da Computação , com ênfase em Metodologia e Técnicas da Computação. Atuando principalmente nos seguintes temas: exergame, terceira idade, jogos digitais. É colaboradora em dois Centros-Dia na cidade de São Paulo: Angels4U e Pasárgada. Email: anaemail@gmail.com

 

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2118 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento