Em 2050, apenas um em cada dois franceses terá idade para trabalhar

INSEE prevê que em 33 anos, a população francesa chegará a 74 milhões de pessoas. A proporção de idosos será muito maior do que das pessoas com menos de 20 anos.

Camille Mordelet*

 

 

O Instituto Nacional de Estatística e de Estudos Econômicos (INSEE), da França, publicou recentemente um conjunto de estudos nacionais e regionais que oferecem um mapeamento do cenário da França em 2050. Daqui a 33 anos, é esperado que a população francesa chegue em 74 milhões, em contraste aos 65,8 milhões em 2013. Esse aumento da população do país se deve às mudanças na expectativa de vida – 90,3 anos para as mulheres em 2050, em contraste aos 85 anos em 2013, e 86,8 anos para os homens em contraste aos 78,7 anos – e com a chegada de migrantes de outros países, para não mencionar uma taxa de fertilidade que o Instituto vê como estável.

O crescimento da população e o envelhecimento afetam todas as regiões, inclusive no exterior. Apenas Guadalupe e Martinica vão experienciar um declínio na sua população, em grande parte devido a uma migração significativa para fora desses territórios. Em geral, a mortalidade na França vai aumentar devido ao desaparecimento progressivo da geração dos baby boomers nascidos entre 1945 e 1975.

Visão geral das principais conclusões destes estudos.

Mais de um quarto da população terá mais de 65 anos

França terá, até 2050, 20 milhões de pessoas idosas, mais de um quarto da sua população. As diferentes gerações de baby boomers vão envelhecer e superar em número muitas gerações subsequentes.

Se os jovens de hoje com menos de 20 anos são mais numerosos do que as pessoas mais velhas, a tendência será permanentemente revertida em 2050. INSEE calculou, na prática, a proporção corresponderá a 100 jovens com menos de 20 anos para 122 idosos. Uma reviravolta completa, com a relação atual sendo 71 idosos por cada 100 jovens.

A percentagem de pessoas com idade superior a 75 anos também vai saltar para representar um sexto do povo francês, em contraste aos 9% em 2013. Devemos lembrar que as previsões sobre o aumento da expectativa de vida tendem a incentivar o desenvolvimento desta parte da população.

Apenas uma em cada duas pessoas terão idade para trabalhar

Aproximadamente 38 milhões de pessoas terão entre 20 e 64 anos em 2050. Se os critérios atuais – a idade da reforma, a idade média de entrada na vida ativa, etc. – não mudar, isso significa que apenas um em cada dois franceses terão idade suficiente para ser considerado ativo. Enquanto as gerações de baby boomers irá gradualmente se aposentar, haverá na França entre 2013 e 2050, cerca de 558.000 pessoas com idade para trabalhar.

A Ile-de-France será a área metropolitana que mais franceses vão deixar

Como quase todas as regiões francesas, a Ile-de-France vai experimentar um aumento da sua população, mas só será devido ao maior número de nascimentos do que mortes, ou seja, o seu equilíbrio natural positivo.

De acordo com o INSEE, no entanto, é esperado que entre 58.800 e 70.400 pessoas deixem a região a cada ano para mudar para outro lugar. Em 2050, a Ile-de-France será a região francesa de menor migração líquida negativa, incluindo DOM. No caso da saída voluntária de pessoas mais velhas visando um ambiente mais agradável.

“Presumimos que a migração da Ile-de-France por categoria de idade não vai mudar em 2050. No entanto, as pessoas com mais de 65 anos são as pessoas que mais se mudam da região, explica François Lebeaupin, da transmissão de serviço do INSEE. Supondo-se que a quantidade de pessoas com mais de 65 anos aumentará nos próximos anos, faz sentido que eles aumentem o fator de migração na região.”

A população de Córsega irá aumentar em 20%

Ao contrário da Ile-de-France, Córsega deve ver seu déficit naturais continuar a declinar. Vinte e um por cento dos habitantes da ilha tinham mais de 65 anos em 2013 e essa porcentagem deverá aumentar para 35% até 2050.

A razão pela qual a população corsa ainda vai aumentar será o seu saldo migratório, segundo o INSEE. “Quando as pessoas idosas migram de uma região francesa para outra, eles mostram uma preferência para a costa do Mediterrâneo. Assim, é lógico que a Córsega faz parte”, diz Lebeaupin. Pessoas de outros territórios, como a Ile-de-France, vão se estabelecer em Córsega, principalmente idosos. Sem isso, a população da Córsega tende a diminuir até 2050.

*Matéria publicada no Le Monde, em 22/06/2017. Tradução livre de Sofia Lucena, colaboradora do Portal do Envelhecimento.

 

Sofia Lucena

Sofia Lucena

Estudante de Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos (SP). Colabora com o Portal do Envelhecimento fazendo traduções de temas relacionados à longevidade humana. E-mail: sofiacortel@hotmail.com

sofialucena escreveu 19 postsVeja todos os posts de sofialucena